Category: Hotéis

Conheça um hotel incrível com cardápio vegano em Campos do Jordão

20160220_111952

Esse ano de 2016 começou com tudo e já temos muito a agradecer e compartilhar com vocês. Demos início a vários novos projetos que estão tendo um ótimo retorno de vocês, como a Agenda Vegana de roteiros personalizados. Logo no começo de Janeiro fomos ao Uruguai visitar amigos, conhecemos Montevideo, Punta del Este e a linda Colônia del Sacramento.  E depois que voltamos recebemos um convite irrecusável: ir conhecer o Hotel Serra da Estrela em Campos do Jordão, que é um hotel de alto padrão e está, de forma corajosa, criativa e competente, se tornando vegano. Parece um sonho se tornando real, né! E é.

Continue reading

Nossa estadia na pousada vegetariana de Ilha Grande

_DSC0296 editado

Pousada Cruzoé

Esse ano descobrimos que havia um restaurante vegetariano em Ilha Grande, o Govinda! E para ficar ainda melhor, esse restaurante fica dentro de uma pousada vegetariana, a Pousada Cruzoé! Quer mais? Essa pousada fica de frente para o mar de Araçatiba, e com cais próprio! Mais? O café da manhã tem leite de amendoim, docinho de passas e coco, pão de centeio e bolos veganos. Ficamos tão felizes e fomos gentilmente convidados a passar um final de semana lá para conhecer. Assim podemos compartilhar com vocês como é esse oásis vegetariano dentro de um pedaço de paraíso que é Ilha Grande.

Continue reading

Conheça uma pousada vegana e pet friendly em praia catarinense

rosa verde 3

Localizada à 2.000 metros da Praia do Rosa em Santa Catarina, a Pousada Rosa Verde foi idealizada pelo casal proprietário com a proposta de um ambiente familiar, amigável e acolhedor.

A Praia do Rosa está na lista das 30 baías mais belas do mundo! E em 11° das praias mais belas do Brasil, segundo o TripAdvisor. Visitada por pessoas de todas as idades, o point dos surfistas também é refúgio da Baleia Franca no inverno. De agosto à novembro este paraíso foi eleito o berçário natural das baleias, que vêm alimentar seus filhotes nos primeiros meses de vida para depois sairem para viagens mais longas.

praia do rosa sc vegan

Praia do rosa Fonte: vidaeestilo.terra.com.br

Próximo à Praia do Rosa também tem-se acesso à trilhas, lagoas e cachoeiras.

Aliada à esses atrativos naturais a pousada tem uma política de sustentabilidade, respeitando o meio ambiente de maneira integral, oferecendo uma alimentação 100% vegetal (vegana), preparada com muito amor. Além disso, os apartamentos disponíveis são completos para que os hóspedes também possam preparar e  realizar suas refeições se assim desejarem.

rosa verde 2

E para quem achava que não podia ficar melhor, a pousada ainda é Pet Friendly! Ou seja, os animais não-humanos da família também são bem-vindos!

Para quem ficou com muita vontade de correr pra Santa Catarina e se hospedar lá (nós estamos!), veja mais informações no site deles: https://www.rosaverde.com.br/

Viajar e se hospedar em um santuário de animas

Errol

Já imaginou se hospedar em um santuário de animais? Mas um santuário de verdade! Daqueles com animais resgatados dos maus tratos, conhecer a história de cada um e conviver com eles. Lá os animais não estarão a disposição de ninguém. O santuário é o lar deles e eles estarão simplesmente por lá, vivendo dignamente e ocupando os seus espaços.

passeio matinal

É muito importante deixar claro a diferença de lugares que exploram animais para turismo, e que não raro tem utilizado a palavra “santuário” ou mesmo dizem que os animais foram resgatados. Geralmente, lugares com animais exóticos, como tigres, leões e elefantes, onde são procriados em confinamento e mães e bebês não são respeitados, colocando-se os filhotes a disposição das centenas de visitantes diários para serem manuseados. Esse tipo de exploração travestida de apreço pelos animais deve ser banida. E Nova York já está fazendo isso, veja.

No Woodstock Sanctuary em Nova York, há uma Guesthouse, com café da manhã vegano (claro!), bicicletas a disposição e pode levar o cão da família. Aliás, o cão precisa ser acostumado com gatos, pois nessa casa de hóspedes também residem 2 gatos, o Errol e o Leon. Lá se descobre o que cada animal passou na exploração antes de ser resgatado, e percebe o quão cada um é cheio de personalidade, sensível, consciente e com interesses próprios. Fica imperativo fazer escolhas veganas por eles.

cafe da manha vegano

guesthouse

 

Alphonso vivei 7 anos no santuário mesmo com as deformidades da raça criada por manipuação genética

Alphonso viveu 7 anos no santuário mesmo com as deformidades da raça criada por manipulação genética para a indústria da carne.

antonio 1

Antonio como todo porco, adora brincar (mais ainda, descansar) na lama. Ela protege a pele sensível deles, e pisos lisos e duros causam inflamação em suas patas. Porcos não são pets! Respeitá-los e não comê-los já é suficiente.

10458730_10152524825540569_1246005634984685242_n

O importante é continuar. Keep going! 😉

Cloudy foi resgatada de uma bateria para galinhas pederiras na Califórnia. Repare no bico cortado. Eles fazem isso com todas nesses lugares que procriam galinhas pra carne e ovos para aumentar a produção, pois assim elas não bicam os ovos, não se canibalizam e não consegue separar o que pretende comer. O canibalismo é devido ao grande stress. Essa debicagem fere muito elas.

Cloudy foi resgatada de uma bateria de “galinhas poedeiras” na Califórnia. Repare no bico cortado. Eles fazem isso com todas nesses lugares que procriam galinhas pra carne e ovos para aumentar a produção, pois assim elas não bicam os ovos, não se canibalizam e não conseguem separar o que pretende comer. O canibalismo é devido ao grande stress no lugar lotado e artificial. Essa debicagem fere muito elas. Só no santuário ela pode tomar banho de sol, ciscar na terra e conviver amigavelmente com outros da mesma espécie.

Dylan e Andy cuidando um do outro.

Dylan e Andy cuidando um do outro.

Joy tomando banho de sol.

Joy curtindo o sol.

Kayli. Linda!

Kayli. Linda!

Lennon e Marley sempre juntos e aprontando.

Lennon e Marley sempre juntos e aprontando.

Ralphie foi um dos primeiros bezerros resgatados a 10 anos atrás, quando deu origem ao santuário.

Ralphie foi um dos primeiros bezerros resgatados a 10 anos atrás, quando deu origem ao santuário.

Sorcerer e ativista.

Sorcerer e ativista.

Equipe do santuário em manifestação vegetariana.

Ativistas do santuário em parada vegetariana.

 

Conheça a Ghesthouse: https://woodstocksanctuary.org/bandb/

Você sabia que no Brasil também existem santuários? Conheça 6 deles aqui.

Assista ao filme The Peaceable Kingdom.

 

Casal oferece café da manhã vegano a hóspedes em Santa Teresa no Rio.

Parque das ruinas

A Casa das Ruínas é umas das atrações no bairro de Santa Teresa

Luciana Lopes e Paulo Miranda são moradores de Santa Teresa, bairro conhecido pelos cariocas por ser recanto de artistas, e hospedam pelo sistema de cama e café (Bed & Breakfast) desde fevereiro de 2014.

Ela publicitária, ele produtor cultural, ambos são vegetarianos e perceberam a falta de opção de café da manhã para vegetarianos e veganos que se hospedam na cidade do Rio de Janeiro. “Fiz uma pesquisa e são poucos os locais que oferecem café da manhã sem produtos de origem animal para seus hóspedes no Brasil. Quando tem, estão localizados somente no interior de alguns estados, não existe nenhum nas capitais do país. Então resolvemos criar esse diferencial em nossa hospedagem”, afirma Luciana.

O casal oferece em seu cardápio especial, diversas frutas da época, sucos naturais, leite vegetal, geleia caseira, tapioca, biscoitos, dentre outras delícias.

Para quem quiser saber mais a respeito, basta acessar https://www.airbnb.com.br/rooms/3659995

 

Veja também:

Sites ajudam a encontrar hospedagem vegetariana no mundo.

Conheça 7 pousadas vegetarianas no Brasil.

Sites ajudam a procurar por hotéis vegetarianos e veganos pelo mundo

Lanche no hotel vegetariano Solimago na Itália

Quando planejamos uma viagem o que não pode deixar passar, além dos pontos turísticos, são os restaurantes vegetarianos e veganos mais próximos. Mas quem lembra de procurar por hotéis  vegetarianos e veganos? Sim, pois eles existem e esse pode ser um critério de escolha, além do custo-benefício, conforto, wi fi e localização.

O Veggie Hotels é uma plataforma que reúne hospedagens vegetarianas e veganas pelo mundo. Foi criada em 2011 na Alemanha pelos jornalistas de turismo Thomas e Karen Kleins, e pelo especialista em TI, Peter Haunert. Em “Busca Detalhada”, pode-se escolher por hotéis 100% veganos.

Ainda não são fáceis de encontrar (a não ser que você esteja na Europa, claro), e muitos assim são denominados por serem spas relacionados a yoga e comida natural. Mas vale sempre dar uma pesquisada antes, porque “vai que”, né.

Já nessa página do Hostels Bookers, mostra diversos hostels pelo mundo que fazem questão de agradar os viajantes vegetarianos e veganos.

Que sensação boa deve ser descer para tomar um café da manhã com uma variedade enorme e completa de alimentos veganos e quem sabe um restaurante. Sem contar o que achamos super importante, que é fomentar empreendimentos que tem como política não explorar animais e que devem ser apoiados para se manterem e crescerem. Além disso, ter o suporte de uma equipe especializada, poderá oferecer diversas dicas de lugares vegetarianos e veganos na cidade.

Faça sua pesquisa: https://www.veggie-hotels.de/

Veja também: O que é um Passaporte Vegano, a agência de viagem veganaApps que todos vegetarianos deveriam ter no celular e Mais de 10 Hospedagens Vegetarianas no Brasil!

Roteiro vegano de dois dias na cosmopolita São Paulo

Depois de um período sem viagens, sendo a última de grande beleza e descobertas pelas praias de Maceió no nordeste do Brasil, o Vegetariando por aí está de volta com um site novinho e com um novo destino super esperado por nós em uma selva de pedra repleta de novidades veganas! 

São Paulo é umas das maiores metrópoles mundiais, a maior brasileira, e por isso onde tudo chega antes e fervilha criações. Não é a toa que é o lugar com mais iniciativas de Direitos Animais, e por conseguinte, mais opções veganas! Lá encontramos lojas e centros culturais especializados em Direitos Animais. Lugares ricos em intervenções urbanas, artísticas, políticas e sociais. Pelas ruas, em meio ao concreto, muita gente, muitas tribos, muito grafitte, muitas mensagens. Em muitas delas, já não era surpresa encontrar algo relacionado a animais e vegetarianismo. Passamos dois dias corridos pela cidade que nunca dorme, fazendo um verdadeiro tour vegano gastronômico! Os lugares foram selecionados de acordo com indicações de amigos ativistas moradores de São Paulo. 

Na chegada tivemos um grande problema com o Saci Hostel, do qual fizemos reserva com um mês de antecedência para ficarmos no mesmo hostel que uma amiga que estava viajando conosco, a Patrícia Fittipaldi, fundadora do Santuário das Fadas, um lugar que resgata dos maus tratos e abriga animais de diversas espécies, incluindo vacas, bois, porcos, cabritos, galos, patos, cães, gatos,… Mas quando chegamos, tivemos a infeliz surpresa de que eles praticam overbooking, ou seja, também reservaram a nossa vaga para outras pessoas. Tiveram que nos reembolsar o valor já pago e fomos às cegas para outro hostel, que acabou sendo melhor e mais em conta, o Vila Rock Hostel. O lugar tem uma decoração moderna com temática rock’n roll, café da manhã incluído, sala de bilhar com bar e som, um terraço com vista linda e é perto do metrô Sumaré!

São Paulo possui uma grande malha metroviária, então a melhor forma de andar por lá é de metrô. Por ele, fomos até o bairro da Liberdade, aquele típico japonês, e almoçamos no restaurante vegano Broto de Primavera. O lugar é acolhedor, com refeições a la carte e lanches como hotdogs e pães. O prato do dia era uma sensacional paella com algas e de sobremesa uma torta de chocolate com menta! Tudo vegano! Nota mil!!!
Saímos de lá e fomos andando pelo bairro da Liberdade até chegar a Praça da Sé, onde está a Catedral Metropolitana de São Paulo, uma das cinco maiores igrejas neogóticas do mundo. De lá,  chegamos a Galeria do Rock, onde dá pra encontrar artigos incríveis! Lá também tem uma lojinha com produtos e salgados veganos, a Art Vegan.
A noite tentamos comer pizza vegana na Asseama, mas a encontramos fechada, então pegamos o metrô de volta e fomos ao Tubaína Bar, perto da Av Paulista. É um bar retrô especializado em refrigerantes antigos e tem um amplo cardápio com opções veganas, incluindo salgadinhos. Comemos mandiopã e um hamburguer de tofú defumado que foi um dos mais deliciosos já provado. Depois, uma torta de nutela vegana e o irreverente drink Cosmopolitan do Agreste.
No domingo, o almoço foi no Loving Hut, uma rede internacional de restaurantes veganos. É um buffet com pratos prioritariamente orientais e muito gostosos. O restaurante é bem grande em comparação com os demais vegetarianos. De lá, caminhamos até a Prime Dog, uma lanchonete com várias opções veganas, como beirut, hamburguer, presunto vegano, etc. A expectativa foi grande, mas a avaliação é para o “bom”. Mas vale a pena conhecer!
A tarde chegamos a Loja Centro de Adoção, onde ficam alguns animais aguardando um lar, incluindo um galo resgatado de rinhas,  materiais de grupos de Direitos Animais a venda, artigos para animais, um brechó com peças reutilizadas e um consultório veterinário, onde ocorre também mutirões de esterilização. É um ambiente muito gostoso, não deixem de conhecer!
Depois chegamos a incrível Matilha Centro Cultural! É um espaço ímpar criado para a convergência de lutas, para intervenções políticas de desconstrução e reconstrução. Tem diversos ambientes como um salão com exposição de arte ativista, também usado para adoção de animais resgatados que ficam soltos, se apropriando do ambiente, interagindo com todos os demais e as pessoas que lá visitam. Ali também tem um bar com lanches veganos, encima uma sala de cinema para exibição de documentários e filmes independentes. O lugar é um paraíso. Um dia ainda conseguiremos criar algo assim no Rio também. Ah, o Matilha tem programação gratuita ou a preços populares e é aberto ao público, incluindo humanos. Não deixem de visitar!!! 😉

Para fechar a visita a São Paulo, tomamos sorvete sem lactose na Soroko! A tradicional sorveteria tem vários sabores cremosos de sorvetes veganos! Mais deliciosos que qualquer outro! Gostaríamos muito de ter conhecido também a nova loja vegana Veggie Life Store, o Vegacy e o Lar Vegetariano, mas não deu tempo. Fica de dica para quem conseguir. Esperamos que tenham gostado do relato das nossas experiências, se tiverem mais dicas comentem aqui, não deixem de conferir os outros destinos e até a póxima!!!

Santuário das Fadas: www.santuariodasfadas.org

Projeto Camisetas Veganas

SERVIÇO:

Vila Rock Hostel: www.vilarockhostel.com‎ (aprox R$40,00 por pessoa)

(SÁBADO) Loja Art Vegan na Galeria do Rock. Das 10 as 18h.

(SÁBADO) Veggie Life Store Rua Barão de Itapetininga, 37, Loja 47, São Paulo. (a 500 m da Galeria do Rock)

(DOM) Loja Centro de adoção: Rua General Jardim, 234 – Centro / São Paulo – Fone: 11 3151-2536 10 as 20h.

(DOM) Matilha Centro Cultural: Rua Rêgo Freitas, 542 São Paulo – SP https://www.matilhacultural.com.br/

ALMOÇO

(SÁBADO) Vegacy: Rua Augusta, 2061 – Cerqueira César – São Paulo – SP (11) 3062 9989 Segunda a sábado das 11h às 21h30

(SÁBADO) Broto de Primavera: Rua São Joaquim, 295 – Liberdade – São Paulo/SP (próx. Metrô São Joaquim) Tel: (011) 3203-1340 De segunda-feira à sábado, das 11:30h às 15:30h (aprox R$35,00 por pessoa)

(DOM) Loving Hut: R. França Pinto, 243 – Vila Mariana São Paulo, (11) 2385-2125 sab e dom de 12h a 15:30h (aprox R$20,00 por pessoa)

LANCHE

Prime Dog: Rua Vergueiro, 1969 Vila Mariana, todo os dias até 7 da manha. (aprox R$20,00 por pessoa)

Sorveteria Soroko: R. Augusta, 305 – Consolação São Paulo, seg a seg meio dia as 22h (aprox R$05,00 por pessoa)

JANTAR

(SÁBADO) Lar Vegetariano Rua Venâncio Aires, 797 – Pompéia

( a 2 quadras do Shopping Bourbon) Sábados das 19h às 22:30h (11) 3862-1308 / 3464 – 0603 .

ASSEAMA – Associação Espírita Amigos do Animais: Rua Manuel de Moura, 63 – Parque Vitória (Tucuruvi) – São Paulo – SP (11) 3534-3643

Tubaína Bar Sábado das 13hs às 3hs.​ Haddock Lobo, 74 São Paulo Tel (11) 3129-4930 (aprox R$50,00 por pessoa)

Encomenda de queijo vegano para grelhas em São Paulo.

Novo selo ‘pet friendly’ certifica hotéis que recebem bem os animais

O Brasil ganhou um novo selo que certifica hotéis e pousadas com serviços para animais que viajam com seus tutores.
 .
A certificação foi criada no fim de 2012 pelo Portal Turismo 4 Patas, que desenvolve conteúdo especializado em viagens com animais e organiza passeios de ecoturismo para cães e seus tutores.
 .
Segundo Larissa Rios, idealizadora do portal e do selo, o “Sistema de Classificação de Meios de Hospedagem Pet Friendly” é o primeiro do tipo no Brasil. “Ele foca na avaliação exclusivamente de serviços e estruturas voltados para animais. Não vemos o luxo, a qualidade da roupa de cama, nada que seja restrito aos humanos”, afirma.
 .
O hotel ou a pousada que quiserem receber a certificação precisam pagar uma taxa e atender a alguns requisitos, desenvolvidos com a ajuda de viajantes que costumam levar seus animais em viagens.
 .
Entre os critérios estão a presença de lixeiras exclusivas para as fezes dos bichos e de bebedouros com água fresca para os animais, a possibilidade de dormir no quarto com o tutor, a existência de convênios com pet shops e veterinários e a receptividade em geral.
 .
“Existe uma grande diferença entre aceitar animais e ser ‘pet friendly’. Tem lugares que aceitam, mas o cachorro tem que andar no colo o tempo todo. Já outros vão além: oferecem kit hospedagem com petiscos, tapete higiênicos e mantinha ou têm espaços para que o tutor possa fazer as refeições acompanhado do cachorro, por exemplo”, diz Larissa.
 .
Os requisitos podem ser obrigatórios ou eletivos, dependendo do nível de classificação pretendido pelo estabelecimento: Standard, Premium ou Super Premium. Um avaliador é enviado ao local para checar se todos os serviços são oferecidos.
 .
Se o estabelecimento for aprovado, ele recebe um manual de hospedagem, com orientações sobre  cachorros e procedimentos ideais, treinamento especial para os funcionários e um pacote de divulgação no site Turismo 4 Patas.
 .
Para Larissa, a opção de hospedagem “pet friendly” no Brasil não é tão ampla quanto em outros países, mas está aumentando. Há cinco anos, no sistema de busca de seu site, havia 300 estabelecimentos que aceitavam animais cadastrados. Hoje, são 1.000.
 .
“Antes muitos lugares até aceitavam bichos, mas não queriam divulgar, porque achavam que poderia afugentar os hóspedes que vão sem animais. Mas agora isso está mudando. Alguns proprietários perceberam que é uma fatia de mercado que está crescendo, e que muita gente deixa de ir a um hotel quando não aceita animais”, afirma.
 .
Esse site internacional PetsWelcome também tem dicas de viagem com animais e hotéis pet friendly.
 .
E lembre-se, nunca compre, adote. E adote por amor, não por raça. Animais não são produtos. E nem brinquedos, .portanto, o que eles precisam não são roupões e luxo, mas estarem perto de você.

Fonte: Agência de Notícias de Direitos Animais – Anda News.

Como viajar com animais

Em períodos de férias e feriados prolongados, enquanto muitos viajam, aumenta-se consideravelmente o número de animais abandonados. O abandono é uma ação criminosa, consequência da objetificação do animal e da falta de responsabilidade daqueles que pensam muito vagamente sobre suas atitudes com os outros. Ao adotar um animal, você o integra à família, o incluindo nos planos futuros, inclusive quando surgem dificuldades. E para quem está pensando em viajar, tem um animal na família e quer encontrar soluções éticas, seguem algumas dicas para ajudar a aproveitar as férias sem causar sofrimentos:
 .
– Não deixe o animal sozinho em casa com ração e água à vontade para alimentá-lo até o dia em que voltar de viagem. A comida acabará antes do tempo ou estragará e a água ficará suja. Além disso, a comida exposta tende a ficar com larvas de insetos, causando verminoses ao animal. Se tiver mais de um animal na casa eles poderão brigar pelo alimento. Ratos e insetos também serão atraídos pelo alimento exposto. O animal também poderá ficar deprimido e latir muito com a falta do tutor, além de sofrer acidentes.
.
– Há serviços particulares, como os hotéis próprios para animais. Verifique pessoalmente as condições de bem-estar que o hotel proporciona aos animais e o tratamento dispensado pelos funcionários. Procure por indicações.
 .
– Fale com colegas, amigos ou familiares que também tenham animais na família. Tente fazer uma permuta: tome conta do animal deles quando estes viajarem de férias e eles ficam com o seu quando chegar as suas férias.
 .
– Informe-se sobre serviços de cuidados aos animais que vão até a sua casa. É uma boa solução, pois os animais não se vêem privados do ambiente familiar. Uma alternativa é combinar esse serviço com um vizinho que goste de animais.
 .
Se puder, leve o animal consigo na viagem. Para isso é necessário alguns cuidados:
 .
– Antes de viajar, certifique-se que o hotel aceita animais e quais as condições exigidas.
 .
– Caso queira viajar para o exterior com o seu amigo cão e/ou gato, tome as devidas precauções com a documentação deles. Geralmente precisam da carteira de vacinação e estarem devidamente castrados. O transporte de animais entre países exige o Certificado Zoossanitário Internacional (CZI). O documento é emitido pela autoridade sanitária do país de origem. No Brasil, o CZI é expedido pelo Serviço de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro), órgão vinculado à Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA), por meio dos 106 postos distribuídos em aeroportos, portos e em pontos de fronteira.
 .
– Para viagem de avião, caso o animal tenha menos de 10 quilos, dê preferência a viajar com ele na cabine de passageiros. Há uma taxa, mas é menos estressante para ele por estar com você. Mas procure saber das restrições quanto a idade, tamanho e tipo de caixa de transporte.

– Para viagem de carro, o animal deve permanecer no banco de trás acompanhado, com cinto de segurança específico ou em caixa de transporte para não pular para o banco da frente. A abertura da janelas deve ser em um limite que não permita o animal saltar nem colocar a cabeça para fora, pois causa otite e outros problemas. Além de ser infração grave prevista pelo Código Brasileiro de Trânsito. E nunca deixe o animal preso dentro do carro sozinho! Isso pode ser fatal para ele, que pode morrer de hipertemia.

– Quando parar durante o percurso, passeie com o animal durante uns minutos para que ele possa se movimentar, o que o acalma para o resto da viagem e também para satisfazer as suas necessidades fisiológicas (não se esqueça de levar um apanhador de dejetos).
 .
– Ao viajar com o animal, este deve estar devidamente identificado com a plaquinha na coleira onde conste o nome dele e o seu número de telefone com DDD.
 .
– Não esqueça de fazer a malinha dele: Guia e coleira com placa de identificação, atestado de saúde feito por verterinário, carteirinha de vacinação, ração, potes para comida e água, petiscos, medicação que o cão costuma tomar, caminha, paninhos, lenços umedecidos e saquinhos, e telefone de um médico na cidade para onde estão indo, para casos de emergência.
 .
Abaixo, veja um curto e tocante vídeo de campanha contra abandono, mostrando que animal não é uma ‘coisa’ para ser descartada. Se você não tem capacidade de cuidar de um animal, NUNCA pegue um. Faça esse favor por ele. Abandono é uma violência e um crime.

https://www.youtube.com/watch?v=Il9guelGulI

.

Referências:

União Libertária Animal: https://www.uniaolibertariaanimal.com

Blog Vegetariando por aí: https://vegetariandoporai.wordpress.com/

Ministério da Agricultura: https://www.agricultura.gov.br/animal/animais-de-companhia/transporte-internacional

Voe Azul: https://www.voeazul.com.br/servicos/embarque-animal-estimacao

Matéria “Aumento expressivo no abandono de animais”: https://www.hojeemdia.com.br/minas/aumento-expressivo-no-abandono-de-animais-inclusive-nas-ferias-1.83098

Lei Federal Ambiental 9605/08 artigo 32.

Mercado hoteleiro de olho no público vegetariano

O crescimento do vegetarianismo e cada vez mais hóspedes solicitando opções mais saudáveis vem ocasionando grandes mudanças na maneira de atender o vegetariano que se hospeda em hotéis e pousadas do Brasil. Hoje, qualquer hotel que esteja antenado às mudanças sociais deve atentar para o fato de que vegetarianos não são consumidores excêntricos. Na verdade, são consumidores que exigem uma alimentação até mais simples e sempre muito mais saudável e barata que a convencional.

Em recente matéria sobre o assunto, o site especializado neste mercado Hôtelier News apontou muitos aspectos que já mudaram no setor e conclui que a tendência é a expansão do vegetarianismo também dentro dos hotéis (leia aqui).

“Certamente, um nicho de quase 10% da população nacional não é nada desprezível, não é? Trata-se de um contingente de 17 milhões de pessoas, que deve ser contemplado. E estamos abertos e dispostos a colaborar para isso” – disse Marly Winkler (Presidente da SVB – Sociedade Vegetariana Brasileira) à Hôtelier News.

A publicação incentiva os profissioanais do ramo hoteleiro a se atualizarem e enxergarem melhor esse grande público que, como qualquer outro, precisa ser atendido.

Fonte: Vista-se