10 explorações de animais para turismo que brasileiros costumam apoiar

Esse não é um post bonito, mas precisamos saber o que ocorre de ruim para evitarmos e combatermos. Muita gente não sabe (ou não se importa), mas além de viajar para tirar fotos usando animais silvestres domesticados ser um programa clichê, para esses animais ficarem disponíveis para as centenas de turistas que passam por eles diariamente, e se submeterem aos truques, é preciso caça ou procriação artificial, treino e confinamento, coisas anti naturais, que os submetem a diversas privações físicas, sociais e psicológicas de sua natureza. É a mesma lógica dos circos que usam animais.

IMG_6043

Ser um viajante ou um turistão?

Há quem tente justificar essa interferência e dominação com a relativa necessidade de conhecer e ter contato com diversos animais, e isso acaba nos lembrando dos zoológicos humanos que assim como o dos animais não-humanos, foram criados com as colonizações e a necessidade do colonizador se instigar com o “desconhecido e exótico” e se apropriar do outro. Mas é justamente esse sentimento egocêntrico e de dominação que temos que desconstruir.

 

É muito estranho pensar o quão contraditório é ver tanta gente pagando pra tocar em animais, mas ignorar cães e gatos abandonados nas ruas quando passam por eles, e não gastar um centavo para dar uma comida ou remédio.

Está na dúvida se envolve maus tratos ou não? Faça as seguintes perguntas pra si: É natural o animal fazer isso? Ele deveria estar ali? Então fique ligadx, e não seja um turistão!

Para saber porquê essas atividades são cruéis com os animais, clique nas imagens. Abaixo, algumas das atividades exploratórias que brasileiros mais costumam financiar com seus roteiros de viagem, mas que você pode (e deve) boicotar:

1- Animais silvestres domesticados para tirar fotos

a

Disseram pra ela que a arara está ali porque quer. Sei…

2- Passar a mão em grandes carnívoros letárgicos por mamadeiras

DSC07723

Se tentarem fazer isso na gata lá de casa no mínimo saem com um belo de um arranhão.

Em Nova York isso já foi proibido por submeter animais a condições fora de sua natureza (abuso e maus tratos).

.
3- Ver show de orcas treinadas em cativeiro

tillyndawn3

Ah, a imensidão do mar… o grupo familiar… Opa, pera!

4- Andar de dromedário

guia-de-viagem-zoologico-de-lujan-argentina-283519-7

Sem comentários.

5- “Ganhar beijo” de golfinho

1475860_877903708907985_7625966860594279817_n

6- Ser puxado por cães atrelados em trenó na neve

treno

Em Ushuaia (do vídeo acima) e em Aspen também, veja.

7- Passeio de charretes com cavalos

061

Alguém repara no olhar desses animais?

8- Passeio em elefantes

elefante explorado para turismo

9- Cavalgada

maus_tratos_33

Clique e leiam esse texto. É incrível!

10- Zoológicos e aquários.

1620773_708622965836061_365364896_n

Leia também nossos dois textos preferidos sobre o assunto:

– Reflexão sobre a exploração de animais para a indústria do turismo.

Nem todo turismo vale a pena.

14 Comments

  1. Conheça + sobre a exploração de cavalos em Petropolis e a campanha internacional no link abaixo:
    https://www.facebook.com/sofrimentonao

  2. Veronica Santos

    01/05/2015 at 11:12 am

    Quando eu estive em Foz do Iguaçu eu fui ao Parque das Aves e lá entramos em grandes viveiros com aves que foram capturadas de cativeiros pelo IBAMA. Até onde eu sei eles não dopam os animais lá, eles tem um trabalho de reintrodução na natureza daqueles que apresentam chances de sobreviver em liberdade e o propósito deste passeio seria a conscientização.
    Vcs sabem se é isso mesmo?
    Outro lugar q estive foi em Bonito e lá também tem uma fazenda q as araras vem para comer e elas sobem nas pessoas e podemos tirar fotos. Elas são livres na floresta, não tem viveiros mas elas tem o hábito de vir até a fazenda.

  3. Oi, Veronica. De Foz não conhecemos, mas se elas estivessem em um santuário ou lugar de reabilitação, esses lugares não são abertos a visitação. O de Bonito pesquisamos, fomos na cidade e optamos por não ir nesse local por ser contra a domesticação (oferecer alimentação é uma forma de criar dependência para a domesticação. Por exemplo, no trabalho de reabilitação pra soltura se faz o contrário, que é habilitar o animal a encontrar o próprio alimento.)… tmb ouvimos sobre corte de asa (apesar do local negar, claro.) Mas de fato, aves como essas pousarem em todos os turistas e esperarem fotos não é algo que se consegue do nada Então.. Nós fomos no Buraco das Araras e lá as araras são realmente livres e não domesticadas. Então dá rpa ver elas voando em grupos de aproximadamente 5 aves, bem longe dos humanos. Elas passam o dia descansando nos buracos da cratera e saem apenas qnd tá fresco e em grupo. Esse é o comportamento natural delas. http://vegporai.com/2014/04/25/roteiro-vegano-para-uma-viagem-animal-na-incrivel-bonito/

  4. rabrunelli@ig.com.br

    01/05/2015 at 3:22 pm

    Olá vocês dois, garotos! Como eu gosto dos seus e-mails!

    Gostaria de saber se posso publicar este último, falando sobre a exploração dos animais no meu Face. Nessa época de férias, ele é mais que pertinente! As colocações são precisas. Desculpe o atrevimento, mas acho importante difundir essas pontuações, tão necessárias à conscientização da nossa espécie.

    Um grandissíssimo abraço! E Feliz Ano Novo pra vocês!

    Rute Aparecida Brunelli

  5. Olá, Rute. Claro! Ficamos felizes que goste e que semeie esses ideais. Obrigadx por nos acompanhar. Grande abraço e um lindo 2015!

  6. Angela Gervasio

    01/08/2015 at 4:47 pm

    Há muitos anos tive a oportunidade de visitar um hotel no interior da Amazônia que tinha muitas araras, tucanos, papagaios, macacos, etc., vivendo em seu entorno. O hotel lhes oferecia “bandejas de frutas” e outros alimentos adequados e quando questionei, explicaram que os animais tinham sido resgatados das mãos de contrabandistas em Manaus. Como o hotel ficava no meio da floresta, servia para reintroduzi-los no seu habitat e eles acabavam ficando por lá. Eram animais livres, lindos e me pareceram bastante felizes. Era até bastante engraçado pois todas as portas do hotel tinham molas de forma que ficassem sempre fechadas para que os animais não pudessem entrar. Gostei do que vi!

  7. cleide Santos

    01/19/2015 at 11:53 pm

    Fiz um passeio junto com minha equipe de trabalho no último dia 16/12/14.
    No local havia passeio de charrete puxada por cavalos, e todos queriam ir.
    Não fui, amo os animais e principalmente cães e cavalos, não concordei com
    minhas colegas, todas foram, não consegui convencê-las a não ir.
    Olhava para o cavalo, até cheguei a passar a mão nele e perguntei ao moço,
    que conduzia a charrete, se ele dava água e comida ao cavalo, nos intervalos,
    principalmente água. diz ele que dá…me deu pena,não tive coragem de ir.
    é um parque aquático aqui em Gaspar Santa Catarina…
    Tem tantos outros atrativos, podiam acabar com essa de fazer o coitado do cavalo ficar,
    dando voltas e voltas, durante o dia todo.carregando um bando de mulas, burros racionais…

  8. Sara Antolini

    01/20/2015 at 9:16 pm

    Não estou questionando a veracidade do texto nem nada, mas tenho uma dúvida sincera: isso inclui criar peixes em casa? E todo e qualquer tipo de zoológico? Porque eu li uma vez que algumas espécies de zoológicos estão em extinção e é mais seguro mantê-las em cativeiro e sob cuidados específicos, inclusive incentivando a reprodução.

  9. Olá, Cleide. Seu posicionamento e atitude foram muito importantes. Grande abraço!

  10. Olá, Sara. A criação de peixes em casa pode entrar na questão que envolve a exploração comercial de animais. Sobre a proteção de espécies, são criadas reservas ambientais na região que habitam, ou ficam em santuários (locais que possuem o único objetivo de acolher os animais, sem expor ao público). O diferencial dessas medidas é que não levam em consideração apenas a espécie, quando tratam o animal apenas como um exemplar e material genético, mas respeitam o bem-estar e direitos morais de cada indivíduo como ser sensível, consciente e com interesses próprios.

    Seguem alguns links de textos que nos fizeram questioná-los e ver o que está por trás do discurso que propagam:
    https://www.anda.jor.br/27/12/2013/serve-zoologico
    https://uniaolibertariaanimal.com/site/index.php/faces-da-exploracao/entretenimento/zoologicos.html
    https://uniaolibertariaanimal.com/site/index.php/o-que-e-o-que-e/santuario.html

  11. É tão complicado, pois já vi a felicidade das crianças nos zoológicos e aquários (inclusive a minha, na época da escolinha). Mas então nossa inocência tem um preço. Devemos ensinar aos pequenos que todos os animais devem ser livres.
    Me pergunto se só os cães devem ser domesticados ou “olhe lá”.

  12. Minha pergunta seria a mesma coisa da Patrícia. No caso por que cães e gatos podem ser domesticados? Creio que se os outros animais tem o direito de ser livres eles também deveriam ser.

  13. Dani e Tiago

    02/23/2016 at 6:47 pm

    Por isso se luta contra a procriaçao e venda de cães e gatos, Priscila. Seja contra a procriação e venda, e a procriação e escolha por raça. No máximo, adote um animal que está morrendo nas ruas e abrigos (e esterilize, já que eles não possuem habitat natural para serem readaptados e reintroduzidos). A adoção é um ato de salvar um animal que não é uma espécie criada pela naturez (por isso não tem habitat natural) e sim por modificações genéticas. A questão dos cães vai além da domesticação, pois é uma modificação genética, e que tem q parar por meio da esterilização, visando o cuidado e respeito do indivíduo já existente, e quebrando o círculo de exploração nele.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.